hrissie fechou a Bíblia com frustração. “Eu não tiro nada disso! Como você pode ler tanto a Bíblia?!”

Eu disse a ela que a Bíblia era como uma carta de amor de Deus para ela; que, se ela lesse, O ouviria falar com seu coração e sua vida. Cinco dias e quem sabe quantos capítulos depois, Chrissie ainda não tinha ouvido nada.

Talvez você possa se identificar. Você reserva um tempo, pega a sua Bíblia e um pouco de café, começa a ler e… nada. Não faz sentido, ou você não se identifica, ou é apenas muito trabalho. Você deixa a Bíblia de lado e decide que é melhor usar seu tempo para ir à missa ou ler as reflexões de outra pessoa.

“Como os protestantes fazem isso?” – Chrissie perguntou. “Eles têm alguma conexão especial das Escrituras com o céu?”.

Eu acho que não, mas isso me fez pensar. Antes de me tornar católica, a Bíblia era meu sacramento, minha Eucaristia. Era onde eu encontrava a presença de Deus. Eu não poderia optar por ir à missa ou à adoração se estivesse entediada em ler a Bíblia, eu tinha que ler com mais vontade. Eu ficava frustrada e decepcionada tantas vezes quanto qualquer outra pessoa, mas nunca me ocorreu parar. Eu queria um relacionamento com Deus e com seu filho. Então eu fiz o que qualquer um que queira ter um relacionamento com outra pessoa faz: eu ia para  onde sabia que ele estaria.

A Bíblia como um lugar

Pensar na Bíblia como sendo um lugar, e não um livro, ajuda. A Igreja nos diz que, nos livros sagrados, o Pai que está nos céus vem amorosamente ao encontro de Seus filhos, conversa com eles; e é tão grande a força e a virtude da palavra de Deus que se torna o apoio vigoroso da Igreja, solidez da fé para os filhos da Igreja, alimento da alma, fonte pura e perene de vida espiritual. (Dei Verbum, 21).

Deus desce do céu para nos encontrar na Bíblia! Quando eu leio isso, imagino-me em um banco no meu jardim, lendo minha Bíblia, com Deus bem ao meu lado.

Às vezes ele fala. Às vezes é uma mensagem certa para mim! Outras vezes, é mais sobre ele: coisas que ele fez, histórias sobre sua família, verdades que eu deveria saber. Algumas coisas são interessantes, outras profundas – e algumas apenas são. Pedaços que quase não noto, mas que enriquecem meu conhecimento.

Às vezes eu falo. Eu posso agradecer a ele pelo que li, falar sobre o modo como isso me toca ou dizer que não entendi. Se não conseguir encontrá-lo imediatamente, procuro com mais força de vontade. Eu peço que ele me mostre o que ele tem para mim naquele dia.

Às vezes, apenas nos sentamos lá. Pode ser uma contemplação tranquila da troca que acabamos de ter, mas mais frequentemente apenas passamos tempo juntos. Suas palavras podem não me atingir, ou eu não tenho nada a dizer. Isso é ok. Assim como eu posso fazer com meus amigos, podemos ficar sentados em silêncio. Ambos no banco, apenas juntos.

Deus fala comigo? Sim. Nem sempre diretamente, nem sempre com as palavras que sinto em meu coração, e nem sempre que pego a sua Palavra. Mas a Bíblia não é uma ferramenta que faz o que eu quero quando quero. É um lugar que eu encontro Deus e posso conhecê-lo. Quanto mais eu leio, melhor o conheço e mais reconheço sua voz. Ele falará comigo ao longo do dia, através das Escrituras que foram escritas em meu coração.

Se você está aprendendo a passar um tempo com as Escrituras, lembre-se desses três pontos para uma proveitosa leitura da Bíblia:

1. Oração

Sempre ore primeiro “para que seja possível o diálogo entre Deus e o homem; porque ‘a Ele falamos, quando rezamos, a Ele ouvimos, quando lemos os divinos oráculos’”(Dei Verbum, 25).

2. Persistência

Crie o hábito de ler a Bíblia. Não espere gratificação instantânea ou constante. (Pense na leitura como o pão diário, não como a sobremesa diária!) Assim como comida, ela nutre mesmo quando você não sente. Pesquise diligentemente e confie em Deus para encontrá-lo.

3. Paciência

Deus quer falar com você! Ele lhe deu sua palavra. Não morda mais do que você pode mastigar. Vá devagar e saboreie o que lê. Aprenda a ouvir e esperar por sua “voz mansa e delicada”.

Que Deus o encontre na Palavra com amor!

_____________

Autor: Sarah Christmyer

Fonte: Ascension Press 

Traduzido por Angela de Oliveira – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL, servindo no Núcleo de Tradução.

Deixe seu comentário