anta Margarida Maria Alacoque (festa celebrada em 16 de outubro) nasceu na Diocese de Autun (França) em 22 de Julho de 1647, a quinta de sete filhos. Mesmo quando era uma criança, ela tinha um profundo amor por Jesus e sempre queria agradá-Lo. Ela também era uma profunda devota de Nossa Senhora. Durante seu crescimento, Sta Margarida Maria só teve dois anos de formação com as “Urbanist Nuns”, mesmo assim, suas contribuições para a Igreja foram bastante significativas.

Aos nove anos, ela fez sua Primeira Comunhão:

“Essa comunhão derramou tanta amargura em todos os meus pequenos prazeres e diversões que eu não conseguia mais desfrutar de nenhum deles, mesmo que os quisesse procurar ansiosamente.” (As cartas de Sta Margarida Maria de Alacoque, a Apóstola do Sagrado Coração)

Após isso, ela ficou extremamente doente e não pôde caminhar por cerca de 4 anos.

“Mas, eu me senti em um estado de doença tão triste que, por cerca de 4 anos, eu não conseguia andar. Meus ossos apareciam na minha pele… Já que nenhum remédio foi encontrado para a minha doença, eu a consagrei à Santíssima Virgem com a promessa de que, se ela me curasse, um dia eu seria uma das suas filhas.” (As cartas de Sta Margarida Maria de Alacoque, a Apóstola do Sagrado Coração)

Santa Margarida Maria foi curada e, em 1671, ela se juntou à Ordem da Visitação em Paray-le-Monial; ela fez seus votos no ano seguinte. 

Santa Margarida Maria teve as experiências das aparições de Cristo, que lhe revelou Seu Sacratíssimo Coração e Seu profundo amor à humanidade. Todas as aparições aconteceram enquanto Santa Margarida Maria estava rezando diante do Santíssimo Sacramento ou depois de receber a Sagrada Comunhão. Às vezes, o Sagrado Coração de Jesus era uma fornalha ardente, enquanto outras vezes estava partido e sangrando, devido à frieza e aos pecados da humanidade. Ela viu o coração de Jesus coberto em chamas e envolto em espinhos, e escutou Sua voz amorosa compartilhar essas palavras:

“Contemple esse Coração que amou tanto, mas recebeu nada além de frieza, indiferença e ingratidão em retorno”.

Sta Margarida Maria sabia que Cristo a escolheu e, com a ajuda de São Cláudio de La Colombiere, foi instrumento de instituição da grande festa do Sagrado Coração e espalhou a sua devoção pelo mundo. 

Ela é um santo modelo de amor, como Cristo a ensinou. Uma vez, ela escreveu:

“É verdade que quem ama não pensa, mesmo em uma névoa de grandes sofrimentos, que está sofrendo coisa alguma. Mas, você vai poder me garantir que ninguém consegue amar sem sofrer. O amor do meu Deus é um tirano piedoso que nunca diz ’basta’.”. (As cartas de Sta Margarida Maria de Alacoque, a Apóstola do Sagrado Coração)

Cristo quer que aprendamos a amar os outros, amando primeiramente a Ele. A devoção ao Sagrado Coração de Jesus permite que Cristo nos renove e transforme o nosso coração. 

É dito que, no leito de morte, Sta Margarida Maria demonstrou uma seriedade à morte, mas ela estava extraordinariamente feliz, apesar de estar em profunda dor. Durante a sua agonia final, Sta Margarida Maria estava apavorada com a justiça final de Deus e o seu juízo particular. Mas, sua consolação imediata veio segurando um crucifixo e dizendo essas palavras: “Misericórdia, ó meu Deus, misericórdia”. Depois desse momento, seu medo desapareceu e seu espírito se encheu com grande calma e paz.

Sta Margarida Maria Alacoque nos revelou não só a devoção que o mundo necessita desesperadamente, mas um caminho para a santidade através do amor ao Coração de Cristo. Essa santa compartilhou as mensagens de Cristo de uma forma que toca até os mais pecadores e deu a esperança de que milagres podem acontecer quando os corações estão unidos a Cristo. Essa incrível santa morreu em 17 de outubro de 1690, com 42 anos, e foi canonizada em 13 de maio de 1920, pelo Papa Bento XV.

_____________

Autor: Emily Jaminet

Autora católica, esposa e mãe de sete crianças. Ela é coautora do livro ganhador de prêmios, “Divina Misericórdia para mães”, e lançou recentemente um segundo livro, “O projeto de amizade” (ambos títulos disponíveis somente em inglês). Convidada frequente em programas católicos americanos, ela mora em Columbus, Ohio. 

Fonte: Catholic Digest

Traduzido por Maria Augusta Viegas, membro do Grupo de Estudos YOUCAT Dating São Judas Tadeu, voluntária no Núcleo de Tradução.

Deixe seu comentário