o Evangelho de João, Maria Madalena é a primeira a testemunhar a Ressurreição de Jesus. Ela vai bem cedo ao túmulo de Jesus e chora. Pensemos um pouco nas lágrimas de Maria Madalena. Essa mulher está muito angustiada. Ela permite que suas lágrimas caiam. Ela não se força a parar de expressar seu sofrimento. E Jesus aparece a ela. Ela só O reconhece quando escuta seu próprio nome. Ela se vira, experiencia uma mudança real no seu coração, e vê seu Salvador, a quem não tinha reconhecido antes.

Então, Jesus lhe pede que anuncie Sua Ressurreição aos demais, que ainda não sabem o que aconteceu, “vá aos meus irmãos e diga a eles, Eu estou ascendendo ao meu Pai e ao teu Pai, ao meu Deus e ao teu Deus”. E Maria Madalena espalhou a Boa Nova.

A essa mulher foi dada a tarefa de trazer esperança, onde não havia nenhuma, e levar luz à noite na qual os discípulos estavam mergulhados há três dias. Como mulheres, nós também somos chamadas a testemunhar a Ressurreição de Jesus e a anunciá-la. Os primeiros a serem afetados são a nossa família, especialmente nossos filhos.

Quantas crianças se lembram de como suas mães lhes falavam de Jesus com ternura e simplicidade? São esses momentos que ajudam a fé de muitas pessoas. Padre Marcel Jousse lembra de sua mãe, que era analfabeta e cantava passagens bíblicas para ele enquanto o ninava. Ele se acalmava com a Palavra de Deus, enquanto era balançado.

Vamos cantar, rezar e falar sobre a Palavra com nossas crianças, que não hesitemos em anunciar a Boa Nova para eles com a simplicidade de uma mãe que fala e canta para seu filho.

Algumas mães também gostam de se encontrar em um grupo de orações para mães, que se reúnem uma vez por semana para rezar pelos seus filhos e se apoiar. As fundadoras desse movimento, que agora é internacional, começaram com a frase: “Rezar pelos nossos filhos”.  E quantos milagres ocorreram como resultado da oração vinda do coração dessas mães!

Deus, que tem esse coração misericordioso, ouve nossa prece. Vamos rezar juntos pelos nossos filhos. Essa iniciativa é uma fonte de graças e nos ajuda a relembrar que Deus está no comando de tudo e que nossos filhos são, acima de tudo, Seus filhos.

A mãe também tem um importante papel nas palavras de bênção que pronunciam sobre seus filhos. Durante todo o seu crescimento, podemos abençoar nossos filhos e lhes dizer novamente que são amados por Deus. A palavra “benção” vem do latim benedicere, que significa “dizer coisas boas”. Nós somos chamados a dizer boas coisas sobre nossas crianças.  Estejamos atentos ao que sai das nossas bocas, “Ponha, Senhor, uma guarda em minha boca, uma sentinela à porta dos meus lábios” (Sl 141, 3). Que saibamos como pedir perdão e abençoar uns aos outros.

Lembremos de Maria, Mãe de Jesus, que carregou a Palavra em seu ventre. A mulher é a portadora e guardiã da Palavra, como Maria. Devido à sua natureza acolhedora e doadora, ela é capaz de entregar Deus aos filhos.

É possível que algumas mulheres encontrem dificuldade de se tornarem mães ou de serem mulheres. Nem tudo é natural, e isso depende muito do que cada uma viveu. Maria chorou. E Jesus não é insensível às nossas dores. Pelo contrário, Ele as pega para Si próprio. Nós podemos reviver esses momentos sozinhos, em um retiro, ou com um diretor espiritual que nos permita ver como o Espírito Santo age em nossas vidas e nos ajuda a nos aproximarmos de Jesus e a andar, passo a passo, no caminho de Sua Palavra. Peçamos ao Senhor a graça de experienciar a nossa feminilidade como um presente Dele para nós, e de receber Dele essa maternidade, que é anúncio de vida e esperança.

Oração final

Senhor Jesus, Você que Se mostrou a Maria Madalena em frente ao túmulo, chamou-a pelo seu primeiro nome, e confiou a ela o anúncio da Boa Nova da Ressurreição aos discípulos, ajuda-me a anunciar a Palavra aos meus filhos com amor e ternura. Inspira-me com orações, palavras agraciadas e canções de ninar que falem de Ti. Trabalhe em meus filhos e os ajude a perseverar em oração. Cura as minhas cicatrizes e feridas, e que eu seja capaz, como Maria, sua mãe, de sentir a felicidade da Ressurreição. Que eu conheça a beleza da minha vocação como mulher, esposa e mãe.

Amém!

_____________

Autor: Éline Landon

Fonte: Catholic Exchange

Traduzido por Maria Augusta Viegas – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL, como Voluntária no Núcleo de Tradução.

Deixe seu comentário