Rejeitados

V

ocê já se sentiu rejeitado? Não estou falando daquele tipo de rejeição que você sente quando não é convidado para algum lugar ou quando você convida alguém para sair e eles recusam. Refiro-me a um sentimento de rejeição mais profundo e persistente, no qual você nunca se sente querido, bom o suficiente ou amado.

Percebi que essa é uma ferida que carrego comigo desde a infância. Quando alguém te machuca na idade em que você é mais vulnerável e inocente, isso lhe rouba muito. Você absorve uma mensagem não dita: “Você não era bom o suficiente para ser protegido. Você não era amado o suficiente para estar seguro, não valia a pena lutar por você . Você não era o suficiente para merecer amor e nunca será”.

Veja bem, é nisso que o diabo quer que acreditemos. Olhando para a minha própria vida, muito desse pensamento vinha por contaminação dos pecados dos outros. Como um abuso sexual não é algo que você simplesmente “supera”, seu efeito cascata afetou meus relacionamentos no ensino médio, meu casamento e até minha maternidade. Sem perceber, vivi com essa ferida por tanto tempo, que deixei que isso definisse quem eu era e quem eu me tornaria. Isso poderia ter destruído a mim e à minha família, se eu não tivesse enfrentado. Eu admito, foi difícil ficar cara a cara com todos aqueles esqueletos no meu armário. Alguns me pareciam gigantes de forma que eu nunca poderia derrotá-los . . . e eu não poderia se estivesse lutando sozinha.

Se você se identifica com o que estou dizendo, saiba que você não está sozinho(a). Às vezes, a vergonha, o desespero e a tristeza parecem insuportáveis, mas o único que pode verdadeiramente nos tirar das trevas é Jesus Cristo. No começo, era difícil para mim relacionar-me com Ele como homem, porque eu havia sofrido muitas mágoas dos homens. Mas, ao me aproximar dele com adoração eucarística, comecei a me sentir segura. Só Ele conhecia minha dor e todas as feridas que eu carreguei por aqueles anos. Não importa o quanto eu me afastei Dele, ele nunca me rejeitou ou me desprezou.

Se você está sofrendo, se sentindo devastado(a), arrependido(a), ou envergonhado(a) e feridas do passado ainda machucam, você não está sozinho(a). Agora é a hora de estar presente para a sua própria luta. Agora é a hora de decidir que seu passado não ditará mais sua felicidade presente ou futura. Mas onde você começa esse processo de cura?

Por causa dos recentes escândalos terríveis, muitas pessoas sentem que a Igreja perdeu toda credibilidade e autoridade em seus ensinamentos sobre sexualidade humana. Mas é exatamente nisso que o diabo quer que acreditemos, para nos manter afastados da restauração que Deus quer que experimentemos através Dele. No meu caso, minha fé católica era minha balsa salva-vidas no meio da tempestade. Em particular, descobri quatro segredos da cura sexual que me sustentaram nos momentos mais sombrios: tratamento psicológico, sacramentos, direção espiritual e comunidade cristã . Além de procurar essas verdadeiras consolações, eu também tive que me desapegar das falsas consolações de relacionamentos e amizades tóxicas que só traziam à tona o pior de mim. Até hoje, eu ainda oro por essas pessoas, mas isso é o máximo.

Precisamos lembrar que o fundamento e a base da nossa fé católica não é mais ninguém, a não ser Jesus. Se nossa fé está na humanidade decaída, estamos fadados a ficar desapontados, mas se realmente acreditamos que o mesmo Deus que nasceu da Virgem Maria e morreu na cruz espera por nós para visitá-Lo em cada tabernáculo, então não temos nada a temer.

Não posso falar por todos os católicos, mas minha fé não será envenenada pelo que aconteceu em nossa Igreja. Essa dolorosa purificação deve fazer com que cada um de nós deseje se elevar acima da bagunça e orar pelas vítimas (e pelos predadores), para que Deus tenha misericórdia de todos nós. A solução não é se afastar ou usar os pecados dos outros como uma desculpa para rejeitar a Igreja e se entregar aos nossos próprios pecados.

Não importa o que você tenha feito ou o que os outros fizeram a você, Deus tem grandes coisas que deseja fazer em sua vida. Você nunca está muito longe ou fora do alcance de Sua misericórdia. Porém, seja paciente. Sei que ainda estou sendo curada e tenho coisas para trabalhar, mas não carrego mais a vergonha do que aconteceu comigo. Isso já não define quem eu sou porque não acredito mais nas mentiras. Sim, todos temos feridas, inseguranças, medos e pecados. Assim como aconteceu comigo, você pode pensar que nunca vai superar isso, mas nunca é tarde demais para recomeçar. Tudo o que importa agora é para onde você vai a partir daqui. Deus promete: Eis que faço novas todas as coisas. Ou, nas palavras de Santa Teresinha, “Deus não nos inspira a fazer o que não pode ser feito”. 

_____________

Autor: Crystallina Evert

Crystalina Evert é a fundadora do Women Made New Ministries e co-fundadora do Chastity Project. Ela é autora de best-sellers dos livros Pure Womanhood e Como encontrar sua alma gêmea sem perder sua alma. Crystalina falou internacionalmente para centenas de milhares de pessoas sobre a virtude da castidade, cura interior e o plano de Deus para a sexualidade humana. Seu ministério Women Made New incentiva as mulheres que precisam de cura pessoal, capacitando-as a se tornarem as mulheres que Deus as criou para ser.

Fonte: Chastity Project

Traduzido por Ludmila Giacone – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL, como Voluntária no Núcleo de Tradução e Formação. 

Deixe seu comentário