Santo Agostinho nos encanta com mais uma reflexão extraordinária sobre o significado da noite e da Luz.


Uma interessantíssima e inspiradora reflexão de Santo Agostinho nos leva a pensar sobre o porquê de Jesus ter nascido à noite, em Belém, e também ter ressuscitado à noite, em Jerusalém:

“Esse é o motivo pelo qual o Senhor quis ressuscitar de noite, conforme declara o Apóstolo: ‘Deus que disse: Em meio às trevas brilhe a luz! Foi ele mesmo quem reluziu em nossos corações‘ (II Cor 4, 6).

Quis Ele simbolizar esse brilhar da luz em meio às trevas ao nascer de noite e, igualmente, ressuscitar de noite. É Cristo a luz que surge das trevas; Ele, nascido dos judeus, de quem foi dito: ‘Comparei vossa mãe com a noite‘ (Os 4, 5).

Mas em meio desse povo, mesmo pertencendo àquela noite, a Virgem Maria não foi noite, e sim, de certo modo, uma estrela na noite. Por isso, o seu parto foi assinalado pela estrela que conduziu de uma longínqua noite os magos do Oriente, a fim de adorarem a Luz, de modo que, também neles, se cumprisse o dito: ‘Brilhe a luz em meio às trevas‘.

A ressurreição e o nascimento de Cristo estão concordes: tal como naquele sepulcro novo onde não foi posto ninguém, nem antes nem depois d’Ele, tampouco no seio virginal de Maria foi concebido mortal algum, nem antes nem depois”. (Santo Agostinho, Sermão 223D, 2)

FONTE: Site Aleteia 

Deixe seu comentário