4 PASSOS FUNDAMENTAIS QUE OS PAIS DEVEM ADOTAR PARA PROTEGER SEUS FILHOS DA PORNOGRAFIA

Como cristãos, não devemos ser ingênuos quando se trata de segurança na internet. Infelizmente, isso raramente é verdade.

A ideia de que podemos proteger totalmente nossos filhos da cultura sexualizada em que vivemos baseia-se na fraca suposição de que, com tecnologia suficiente, enquanto pai, posso manter qualquer mal longe dos meus filhos. No entanto, os pais que acreditam que seus filhos pecam, assim como eles pecam, sabem que essa suposição é falsa. Os pecadores procurarão o pecado, e nenhuma barreira, não importa quão alta ela seja, impedirá a tentação por muito tempo.

É claro que devemos utilizar boas tecnologias. Com certeza, devemos proteger nossos filhos de exposições à mídia sexualizada. Mas se isso é tudo o que fazemos, estamos ignorando a ameaça mais significativa que nossos filhos enfrentam quando se trata de pureza: seus próprios corações. “Nada mais ardiloso e irremediavelmente mau que o coração. Quem o poderá compreender?” (Jr 17, 9)

RESPONSABILIDADE NA INTERNET x SEGURANÇA

A coisa mais importante que os pais podem fazer para proteger seus filhos da pornografia online é prepará-los para lutar. Um dia, eles sairão de nossas casas e, como jovens adultos, lutarão contra as forças do mal. Você os está preparando para isso?

Essa é a diferença entre a Segurança na Internet e a Responsabilidade na Internet.

  • A segurança na internet afirma: “A grande e perversa internet está aí pronta para abocanhar meus filhos, então eu serei o mais feroz cão de guarda que eu posso ser”.
  • A responsabilidade na internet afirma: “A internet está lotada de tentações que levam o coração de meus filhos para o pecado. Eu farei de tudo para treiná-los, a fim de que se tornem seus próprios cães de guarda”.

4 FORMAS DE TREINAR SEUS FILHOS

“Ninguém, quando for tentando diga: É Deus quem me tenta. Deus é inacessível ao mal e não tenta ninguém. Cada um é tentado pela sua própria concupiscência, que o atrai e alicia. A concupiscência, depois de conceber, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera morte.” (Tg 1, 13-15)

Usando uma metáfora da reprodução, São Tiago nos apresenta um modelo de 4 passos da tentação: (1) desejo, (2) concepção, (3) nascimento e (4) morte. Vamos usá-lo para descobrir a responsabilidade e a pureza na internet.

1. DESEJO: Ensine-os a cuidar de seus corações

Todos os pecados começam nos próprios desejos da pessoa. Sim, o mundo pode e realiza “ataques surpresa” a nossas crianças com imagens sexuais, mas, no fim, nossas crianças vão atrás delas porque as acham atraentes e sedutoras. É aí que a batalha começa.

Precisamos ensinar aos nossos filhos a diferença entre o desejo bom e o desejo desordenado. Os maus desejos, muitas vezes, não são para as coisas erradas, mas sim desejos extraviados e excessivos de coisas boas.

O sexo é algo bom. E é bom que, conforme eles envelheçam, nossos filhos anseiem pelo sexo. Não é bom, porém, quando esse desejo começa a se tornar um ídolo: algo que eles estão dispostos a sacrificar os valores de Deus e a dignidade do outro para conseguir.

Fortaleça o coração de seus filhos contra a pornografia, ensinando-os sobre a benignidade do sexo e como identificar um desejo desordenado quando ele começa a surgir. Quando eles sentirem esse forte desejo de deixar-se levar pela tentação sexual, eles precisarão ter a capacidade para dizer: “Isso é natural, é bom, mas deixar-me levar por isso agora não é o caminho que Deus tem para mim. Acender o fogo da luxúria é não amar a Deus, aos outros e a mim mesmo. A luxúria não agrada a Deus. Trata os outros como objetos e me afasta da pessoa amorosa e caridosa que eu quero me tornar. Eu vou resistir a essa tentação.” Nós devemos ensiná-los a guardar seus corações. (Pr 4,23)

2. CONCEPÇÃO: Dê a eles novos hábitos

Quando o desejo de pecar está presente, quais são os hábitos que nossos filhos possuem, colocando-os um passo mais perto dos objetos da luxúria? É diferente para cada criança ou adolescente. Para alguns deles, é a hora do dia ou da noite em que ficam online. Para outros, é entrar no Facebook ou Instagram. Para alguns, ainda, é o fato de responder mensagens de texto para alguém do sexo oposto tarde da noite. Para alguns, podem ser sites ou vídeos específicos que os atrapalham.

Conforme você conversa com seus filhos sobre essas tentações online, ajude-os a identificar quais são os costumes que os fazem adentrar em seus desejos pecaminosos. Esses hábitos provavelmente parecem benignos inicialmente, mas, debaixo deles, o pecado está sendo concebido. Eles precisam aprender a “contracepção do pecado”: dizer não aos hábitos que os colocam no caminho da tentação.

3. NASCIMENTO: Não deixe o pecado passar pela porta

No momento em que nossos filhos estão prestes a se envolver em algum pecado pornográfico online (conversas sexuais ou paqueras, mensagens de texto com teor sexual, buscas por imagens pornográficas ou sensuais, etc.), precisamos ter um plano para que eles destruam seus pecados. Obviamente, se eles estão ansiosos para fazer algo sexual online, é um pouco tarde, mas ainda existem bloqueios que podemos utilizar para impedir que o pecado passe pela porta.

O mais óbvio é ter boas medidas técnicas, como um filtro de internet. Mas isso também deve ser acompanhado de um bom monitoramento e responsabilização da internet. Se seu filho está tentando procurar coisas sensuais online, você deve saber sobre isso, mesmo que o filtro impeça que ele ou ela veja algo. Você deve ter e se atentar a relatórios de toda a atividade online enviadas para você regularmente.

4. MORTE: Ensine-os as consequências

Se ignorado, todo pecado sexual, quando completamente crescido, leva à morte: morte emocional, morte de relacionamentos, às vezes morte física, e, mais importante, a morte eterna. Como pais, nós devemos fortificar os corações de nossas crianças com essa informação.

Conforme as crianças se tornam adolescentes com curiosidade sexual, eles precisam entender as consequências do pecado sexual – além de apenas DSTs ou gravidez indesejada. Eles precisam aprender que a luxúria online rouba deles a alegria da verdadeira intimidade e amor. A luxúria é um ladrão que vem para matar, roubar e destruir.

Eles precisam saber que lutamos contra a luxúria porque lutamos pela alegria.

Use histórias das Escrituras para mostrar as consequências da luxúria desenfreada (há um monte delas). Use histórias da sua própria vida. Grave em seus filhos a ideia de que, embora as tentações sexuais online pareçam atraentes, elas nos conduzem para a morte. (Pv 7,27)

Grave em seus filhos o que a verdadeira intimidade é capaz de nos dar. Eles precisam saber: quando eles dizem “não” para a pornografia, eles estão, na verdade, falando “não” para a morte, e dizendo “sim” para a vida e a felicidade. Ensine-os isso!

____________________

Escrito por Luke Gilkerson – editor geral e principal escritor do Breaking Free, o blog do Covenant Eyes. Luke é Bacharel em Filosofia e Estudos Religiosos e está estudando para um Mestrado em Religião. Antes de trabalhar com o Covenant Eyes ele passou 6 anos como Ministro de Campus. As atividades preferidas de Luke incluem escrever para o blog, ler livros teológicos, começar discussões filosóficas aleatórias, namorar sua esposa Trisha e brincar com seus quatro filhos. Luke e sua esposa escrevem para o IntoxicatedOnLife.com.

FonteChastity Project com permissão de Jason Evert ©
Traduzido por Rodrigo Mourão – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL como Voluntário no Núcleo de Tradução e participante do Grupo de Estudo YOUCAT DATING em Brasília – DF.

Deixe seu comentário